Uma reflexão sobre as ciências humanas e o governo Bolsonaro

Estou vendo aí um monte de gente achando um absurdo que o governo vai cortar dinheiro dos cursos de humanas (mais precisamente filosofia e sociologia) para segundo ele gerar “retorno imediato ao contribuinte”. O fato é que isso não é NENHUM absurdo devido a dois fatores: 1) do ponto de vista capitalista o presidente está certo 2) esse já é o pensamento do brasileiro médio, só é espantoso que isso venha de um presidente.

Fazendo uma mea-culpa é preciso que se diga em primeiro lugar que o pessoal das humanas (no qual eu me incluo), de um modo geral, só dialoga com o pessoal da academia. Falar difícil é meio “lei” e falar que você leu um autor x e entendeu o que ele disse às vezes é sinônimo de ser “superinteligente” porque aquele autor “escreve difícil”. Daí que o papo lindo e maravilhoso de “conversar com o mundo lá fora” vira uma grande utopia mesmo. A gente não consegue entender direito esses autores difíceis e escreve/fala como eles, como a gente quer que o “povão” nos entenda?

Ao mesmo tempo, é fato notório que algo mais técnico e/ou “””cientifico””” vai SEMPRE dar um retorno (leia-se LUCRO, DINHEIRO) mais rápido que uma matéria de humanas, até por serem áreas cujas pesquisas não são muitas vezes “replicáveis” em laboratório, e portanto os seus métodos costumam ser mais imaginativos que as áreas biológicas e de engenharia.

Isso significa dizer que as ciências humanas são inúteis? Não! Mas do ponto de vista CAPITALISTA elas são mais ou menos inúteis. Claro que áreas como a sociologia por exemplo, tem um papel fundamental na promoção de políticas públicas e sociais, mas esse não é, nem nunca será o foco deste governo, por isso, a notícia não é chocante.

Assim, se a gente quiser defender a ideia da importância das ciências humanas para o mundo atual, essa justificativa não pode vir pensando em retornos financeiros (ou, pelo menos, não imediatamente) ou em ignorância (o povo também é ignorante em campos “capitalistas” e que dão dinheiro como medicina).

A grande questão das ciências humanas está no próprio nome. Dessa forma, o foco tem de estar na importância do material HUMANO e ÉTICO. Essa é a verdadeira importância dessas ciências. É preciso entender história, para pensar criticamente e poder saber atuar no mundo de forma a RESPEITAR o coleguinha do lado, porque CADA VIDA CONTA. É preciso saber filosofia para saber ética e sobre violações de liberdades individuais e para entrar no debate com a biologia sobre mutação genética e esses limites, por exemplo.

Assim, saber ciências humanas é saber SER HUMANO e agir na sociedade de um modo ético. É aí que reside o papel social das ciências humanas: seu material é a subjetividade, a subjetividade tão atacada atualmente por não ser “objetiva e direta o suficiente”. Ao mesmo tempo, é ela que faz da gente matéria humana, não máquina.